Turismo

Como se tornar Guia de Turismo: Todos os Passos

Se você é uma pessoa apaixonada por viagens, gosta de compartilhar suas experiências e conhece bem sua cidade ou região, então ser um guia de turismo pode ser a profissão perfeita para você. No entanto, antes de escolher essa carreira, é importante conhecer todos os passos necessários para se tornar um guia de turismo profissional. Neste artigo, exploraremos tudo o que você precisa saber para se tornar guia de turismo, desde a formação até as habilidades necessárias para ter sucesso.

Saiba como adotar o Marketing de conteúdo na sua advocacia

Saiba como adotar o Marketing de conteúdo na sua advocacia

Uma nova tendência está crescendo dentro do mercado dos escritórios de advocacia. Muitos juristas e profissionais da área do Direito estão fazendo uso de estratégias de marketing conteúdo com o intuito de aumentar a sua notoriedade e autoridade dentro do ambiente da internet.

Por essa razão, é necessário que as pessoas interessadas nesse tipo de produção de conteúdo tenham em mente os itens necessários para produzir estratégias sustentáveis, levando em consideração os valores de uma área em que o código de ética e a comunicação empresarial estão sempre atuando em conjunto.

Nesse sentido, o texto abaixo irá falar sobre os métodos utilizados para se aplicar o marketing de conteúdo no setor jurídico, abordando as vantagens dessas ações, entre outras informações.

 

O que é o marketing de conteúdo

Essa área do marketing integra a série de estratégias que existem dentro do marketing digital. Portanto, o marketing de conteúdo pode ser resumido na prática de se publicar conteúdos considerados relevantes ou interessante por parte de usuários da internet. Mas, qual seria a vantagem disso?

Ao gerar conteúdos, tais como textos e vídeos, os donos de escritórios de advocacia conseguem atrair pessoas para conhecerem os seus sites. Caso os visitantes sejam leigos em assuntos relacionado ao Direito, com acesso a esse conteúdo eles podem, além de tudo, interessar-se pelos serviços advocatícios.

Isso transforma indivíduos desconhecidos em potenciais clientes de um escritório. É válido frisar que o marketing de conteúdo é tão importante para a internet nos dias atuais que os mais variados segmentos do mercado podem utilizá-lo, por exemplo, desde confeitarias até uma empresa demolidora.

As estratégias de marketing de conteúdo, quando aplicadas à área do Direito, recebem o nome de “marketing jurídico”. Este nome não pode se restringir simplesmente ao ato de distribuir cartões profissionais ou de fazer networking em congressos, mas também às atitudes de captação de clientes dentro do ambiente online.

A importância dessa presença dentro da internet se dá pelo fato de que cada vez mais as pessoas consomem conteúdos e realizam compras dentro de sites. E, para profissionais autônomos do ramo de advocacia, a visibilidade em qualquer meio pode ser bastante favorável aos lucros.

 

Porque se deve apostar no marketing jurídico

O marketing de conteúdo aplicado ao meio jurídico passou a ter uma importância muito grande para os profissionais desta área. Isso decorre do fato de que tanto o Estatuto da OAB (Ordem de Advogados do Brasil) quanto o Código de Ética da Profissão restringem as ações promocionais que os escritórios de advocacia podem praticar.

Assim, atitudes como a propagação de comerciais em meios de comunicação de massa, a promessa de resultados instantâneos e positivos e a divulgação de valores dos serviços são práticas vedadas por tais órgãos a respeito da conduta de escritórios de advocacia.

Essa limitação é justificada pelas autoridades da OAB, as quais afirmam que o Direito é um serviço prestado ao público e que, portanto, não pode e nem deve ser visto como um trabalho mercantil. Tal realidade é reiterada pelo artigo 31 do Código de Ética, o qual afirma que é proibida a “referências a valores dos serviços, tabelas, gratuidade ou forma de pagamento, termos ou expressões que possam iludir ou confundir o público”.

Contudo, apesar de muitas restrições, os escritórios ainda podem alcançar uma visibilidade maior em seus serviços por meio do marketing jurídico, o qual não é proibido por nenhuma instituição.

Os promotores de conteúdo, entretanto, como é o caso dos redatores freelancers, precisam ficar atentos às condutas vistas como sendo inadequadas, entre as quais é possível citar:

  • A publicação de informações sobre causas pendentes;
  • A divulgação de listas de clientes;
  • A referenciação a cargos já ocupados pelos advogados;
  • A criação de conteúdos com informações enganosas ou errôneas.

 

Como criar conteúdos para o mercado jurídico

Assim como os conteúdos de diversos outros empreendimentos existentes, por exemplo, uma empresa de alarme de incêndio, os conteúdos existentes no mercado jurídico precisam se pensados levando em consideração quatro componentes principais:

  • Para quem será dito?
  • O que será dito?
  • Quando será dito?
  • Onde será dito?

Criando uma Persona

Em primeiro lugar, um escritório de advocacia deve ser capaz de identificar o público que consumirá seu conteúdo. Por isso, os gerentes de conteúdo precisam pesquisar e definir a pessoa que tem o modelo de consumidor ideal para o escritório. Para fazer isso, você deve usar um conjunto de dados que represente essa pessoa.

Essas informações podem ser usadas para atingir aspectos mais fundamentais, por exemplo, na definição do público-alvo, que incluem gênero, classe social, idade, localização geográfica e outras informações sobre outros clientes e características mais íntimas relacionadas ao comportamento do consumidor.

Dessa forma, a definição de personalidade pode ser feita levando em consideração informações recebidas de clientes, por exemplo:

  • Para que você trabalha?
  • Quais são seus hobbies?
  • Quais são seus sonhos?
  • Qual é o seu gosto?
  • No que eles estão interessados?

Exemplos podem ser usados ​​para ilustrar este ponto. Um exemplo de pessoa de um escritório de advocacia poderia ser, portanto:
“Luciano, é dono de uma loja de tomadas e interruptores. Ele é muito preciso sobre sua localização e mantém os registros de sua loja atualizados. Luciano gosta muito da tecnologia. e da internet, por isso faz muita pesquisa no mundo digital sobre diversos temas. Um dia, um problema provoca um pequeno incêndio na fiação da loja, o que leva à destruição de documentos importantes da instituição e precisaria de uma elaboração de projeto de combate a incêndio

Do exemplo mencionado. , fica claro que essa pessoa tem uma excelente oportunidade de buscar o conteúdo do especialista do escritório de advocacia que tem o conhecimento do que fazer após tal situação.

 

Desenvolvendo Conteúdo de Marketing Jurídico

É interessante usar certas práticas eficazes no desenvolvimento de conteúdo para o setor jurídico.
A primeira delas refere-se à resolução de tarefas em cada texto. De fato, a maioria dos leitores de conteúdo de escritórios de advocacia são pessoas que têm problemas e precisam não apenas de uma solução, mas de uma solução para a situação pela qual estão passando.

Um provedor de conteúdo legítimo pode ou não, portanto, referir-se a eventos fictícios até que fique claro o que realmente aconteceu, como o serviço de uma empresa prestadora de serviços de segurança do trabalho.

Portanto, pessoas do mesmo segmento desse tipo de negócio ou diante do problema mencionado se interessaram pelo assunto e buscaram respostas concretas, factíveis e objetivas.

Além disso, a linguagem utilizada neste conteúdo deve ser preferida. Isso porque muitos advogados ou especialistas em conteúdo acreditam que, por estarem redigindo um texto jurídico, devem contar com a mesma estrutura acadêmica da área.

Dificultar a comunicação pode alienar pessoas com problemas simples, como uma empresa de instalações elétricas industriais que tenha problemas com orçamentos com seus clientes. Portanto, a linguagem utilizada deve ser adaptada ao tipo de leitor, assim como este texto é escrito para um público legalmente orientado.

Manter a frequência

Produzir e compartilhar conteúdo em diversos canais digitais na Internet é uma forma inteligente de se posicionar como um player ativo no mercado, até mesmo para empresa de projetos hidráulicos

Por isso os advogados devem manter regularidade em suas tarefas, criando publicações constantes e em abundância. Porém, um dos maiores problemas dessa indústria é que as coisas podem se repetir muitas vezes e o conteúdo acaba sendo o mesmo.

Portanto, o autor do conteúdo deve sempre se atualizar e levar um caderno pessoal onde anota tudo o que diz, o próximo conteúdo a ser compartilhado e suas datas.

Atualizações neste tipo de atividade podem ser muito bem-vindas, pois a ênfase está na diferença ao invés de repetir o que já foi dito.

Assim, o texto acima mostra que a preocupação com a imagem corporativa não está apenas no mercado comum, o que pode ser visto no dia a dia, por exemplo, nas fábrica de conectores, mas também faz parte das agências.

Apesar das sérias restrições atuais nesta área, postar conteúdo pode ser uma forma saudável e responsável de obter provas. Com isso, uma agência startup pode obter um impulso inicial muito importante para conectar seus clientes e se diferenciar de seus concorrentes.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba como adotar o Marketing de conteúdo na sua advocacia

Advocacia:  entenda mais sobre a profissão

Conceito de Advocacia

O conceito de advocacia não pode ser resumido somente na profissão do advogado, vai muito além, trata-se de atos cotidianos, praticados em prol dos direitos e das garantias fundamentais e defesa da justiça.

A advocacia exerce um papel muito importante como influenciadora da sociedade como um todo, vigiando e garantindo que a justiça seja devidamente cumprida, com base nas leis que regem o Estado, tendo como fonte maior a Constituição Federal. 

A palavra origina-se da formação da doutrina jurídica, garantindo ética e imparcialidade e, como consequência, elevando os valores da democracia ou a preservação da ordem jurídica.

Para que serve a Advocacia

A advocacia serve para solucionar problemas de interesse público ou particular, um advogado é imprescindível em vários tipos casos como:

  • Assessoramento 
  • Consultoria
  • Representação jurídicas

Características da advocacia

A advocacia possui algumas características que, devidamente alinhadas permitem compreendê-la melhor. 

Essas características são na verdade elementos do regime jurídico que rege a atuação e a pessoa do advogado, e que diferenciam a advocacia das demais profissões, para firmá-la como uma das bases de proteção do Estado Democrático de Direito, por ser função essencial à justiça.

As características da advocacia que podemos identificar são:

Indispensabilidade

A indispensabilidade da advocacia é das mais importantes de suas características. De fato, o advogado é crucial à administração da Justiça.

O advogado não é essencial porque lhe atribuem essa qualidade, mas sim porque de fato a possui, ele é o profissional que vem em auxílio dos que ignoram as leis que poderá culminar no convencimento do juiz, realizando-se justiça, ou ao menos, o cumprimento da norma jurídica.

Inviolabilidade

traduz-se por inacessível ou impraticável, aquilo que não pode ser feito.

Dessa forma, podemos dizer que o advogado é inviolável, a Constituição Federal quis tornar impraticável qualquer punição que se lhe queira impor quando o mesmo esteja no exercício da profissão.

Perenidade

Não acredito que exista no mundo um lugar onde se tenha a chamada Constituição imutável que é nascida perfeita e impossível de ser reformada, porque os avanços políticos, sociais, tecnológicos, comerciais, e mesmo das relações internacionais, requerem constantemente atualizações no ordenamento jurídico que por vezes direcionam a atividade para a modificação da Constituição.

Ramificação

A advocacia pode ser privada, quando exercida por profissional mediante contratação de honorários com o cliente, ou ainda nos casos de advogado empregado na iniciativa privada, pública quando exercida por profissionais detentores de cargos ou empregos públicos que visem à defesa do Estado.

 

Parcialidade

O advogado deve exercê-la em favor do seu cliente a quem defende sem os exageros da emoção egoística, mas em prol da dignificação de sua função, para que o cliente possa confiar nele e ter uma boa representação. 

Entenda mais sobre a carreira de advocacia

O profissional formado no curso de Direito pode optar por seguir a carreira jurídica ou se tornar um advogado.

As duas alternativas  oferecem diversas profissões e caminhos para seguir. 

Para atuar como advogado, o profissional formado em Direito precisa realizar o Exame da OAB, e somente depois de ser aprovado nesta prova é que o profissional receberá o registro na OAB e poderá exercer a profissão.

Um advogado pode se especializar em várias áreas com

  • Civil
  • Trabalhista
  • Previdenciário
  • Penal
  • Ambiental
  • Eleitoral
  • Tributário
  • Empresarial

Um profissional da área de direito pode atuar como advogado de defesa como advogado de acusação.

O advogado de acusação representa os interesses de uma pessoa que se sinta prejudicado e deseja acusar alguém.

Já o advogado de defesa precisa defender o seu cliente que está sendo acusado de algum crime.

O trabalho de um advogado é entender a situação e saber quais os objetivos de seu cliente e tentar realizar um acordo entre as partes envolvidas sem a necessidade de um processo jurídico.

Se as partes não entrarem em acordo, é o advogado que desenvolve estratégias para levar o caso para o tribunal de justiça.

O mercado de trabalho na área de Direito é muito amplo, enquanto existir vida em sociedade, existirá a necessidade de aplicar as leis para garantir a ordem e segurança.

Profissionais desta área podem atuar em órgãos públicos, escritórios de advocacia, departamentos jurídicos de empresas privadas ou montar seu próprio negócio.