e-commerce

Saiba porque o e-commerce deve ser usado no seu negócio

Uma das tendências mais quentes do mercado é o e-commerce, principalmente considerando as mudanças na jornada do cliente. São transações comerciais realizadas por meios eletrônicos, como smartphones e computadores. Nesse contexto, porém, é importante esclarecer que não é qualquer transação nesses veículos que se enquadra no modelo de e-commerce, apenas se for um negócio, se for vendedor, vendedor ou fabricante, em plataforma própria.

Este esclarecimento é importante devido à existência do Marketplace, que é uma plataforma que reúne diversas empresas e intermediários para o processo de compra e venda. Assim, o e-commerce torna-se uma alternativa onde empreendedores reais atuam com mais liberdade, utilizando uma equipe capacitada para criar o design e todos os aspectos da plataforma virtual.

Este modelo operacional tem como vantagem a digitalização de processos básicos: atendimento e vendas. Por exemplo, quem procura um produto como um mobile promocional, seguindo um modelo de e-commerce, poderá encontrar a empresa, indicar os principais recursos desejados e fazer um pedido com facilidade. No entanto, outras vantagens podem ser alcançadas através dos recursos oferecidos pelo ambiente virtual, principalmente automatizando os seguintes procedimentos:

No entanto, como será visto ao longo do texto, é preciso um bom planejamento para que a empresa funcione bem como um e-commerce, pois diferentes alternativas podem ser exploradas e, seja qual for a escolha, deve ser um compromisso com a qualidade.

Tipos de E-commerce

Existem dois tipos principais de e-commerce: B2B (Business to Business) e B2C (Business to Customer). O primeiro caso corresponde a transações que ocorrem entre empresas, como em Climatizadores de ar para lojas. A segunda são empresas que vendem diretamente ao consumidor final, ou seja, pessoas físicas.

No geral, trata-se de uma solução prática para o consumidor, tanto em B2C quanto em B2B, porém, a empresa deve possuir os recursos necessários para atender cada um de seus requisitos e peculiaridades, principalmente quanto à segurança e informações de pagamento, envio e pré e pós-venda Apoio, suporte.

Além dessas formas de divisão, o comércio eletrônico também pode ser visto como varejista ou atacadista, sendo o primeiro voltado principalmente para pessoas físicas, pois os atacadistas operam a granel. transito. Em ambos os casos, se a empresa também trabalha com uma loja física, um local de retirada pode ser especificado.

Um dos fatores mais importantes nesse cenário é garantir que o sistema utilizado para as transações seja aliado ao criterioso controle de estoque, pois evita transtornos ao negócio e ao consumidor devido ao não atendimento dos requisitos.

A principal preocupação com a plataforma

Um dos pontos chave de qualquer negócio é o modelo operacional e no e-commerce é algo que está atrelado à infraestrutura estabelecida. Afinal, se a plataforma não for viável, todo o processo de compra ficará comprometido e as consequências podem ser extremamente negativas para a empresa.

Uma boa experiência é estruturada em algum momento, não basta ter um background ou estética de qualidade. É necessário estabelecer uma boa organização da informação, um contacto real com os clientes e uma orientação clara. Se um cliente está procurando uma Câmera térmica e encontra adesivos de vinil personalizados na mesma seção, fica claro que as configurações organizacionais da plataforma podem ser confusas e difíceis de encontrar.

Três cliques são indicados para um processo de compra rápido, por isso é importante que os empresários fiquem atentos a esse tipo de detalhe e certamente com o auxílio de especialistas na área. No momento da construção da fundação será possível executar corretamente o projeto previamente elaborado, o que será decisivo.

Assim, percebe-se que passar de uma loja física para um e-commerce ou atuar em ambas as frentes são opções com grande potencial dada a abrangência que este modelo de comércio apresenta. No entanto, como em qualquer processo de marketing, etapas cuidadosas e suporte profissional são essenciais para um desempenho e lucratividade bem-sucedidos.

Este texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você encontra centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

clientes

Criar e-commerce do zero: principais dicas

Criar e-commerce do zero é um processo que exige dedicação dos empreendedores para que ele se torne um sucesso. E, por esse motivo, a maioria das pessoas busca por dicas que sejam eficazes na criação de sua página. 

Existem várias etapas para criar sites, as quais são essenciais para desenvolver algo que agrade você e seu público. Então, antes de qualquer coisa, é importante ter um bom planejamento. 

Para criar um e-commerce do zero, os empreendedores devem definir os seus objetivos, além de escolher a melhor plataforma e métodos para divulgação. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura. 

Dicas para criar e-commerce do zero

Saber como iniciar um e-commerce do zero é o primeiro passo para quem pretende iniciar suas vendas na internet. Afinal, além de ter um maior alcance, essa página gera excelentes oportunidades aos empreendedores. 

Segundo dados divulgados pelo Neo Trust, somente no primeiro trimestre de 2021, as lojas virtuais tiveram uma alta de mais de 57% em suas vendas em comparação com o mesmo período de 2020. 

Por serem números realmente expressivos, muitos empreendedores têm interesse em iniciar um e-commerce do zero. Porém, não basta criar uma página bonita, ela deve ser otimizada para agradar e atrair os usuários. 

Por esse motivo, é fundamental conhecer dicas para criar seu e-commerce. Embora não seja um procedimento simples, desenvolver esses conhecimentos é importante para facilitar as etapas de criação. 

1. Tenha um objetivo

Antes de qualquer coisa, para criar um e-commerce do zero, os empreendedores devem ter um objetivo. Lembre-se que ele deve ser alcançável e realista. Essa é a melhor maneira de evitar frustrações ou problemas no decorrer das etapas. 

Em um primeiro momento, é importante pensar em seus objetivos macro. Ou seja, faça pesquisas sobre os seus concorrentes, percebendo como está o seu comportamento na internet, além de suas performances em vendas. 

Assim que você analisar essas características com cuidado, a próxima etapa é definir os seus objetivos. Ou seja, o empreendedor deve ter em mente onde pretende chegar com a sua empresa. 

Para que esses objetivos sejam traçados, é importante estabelecer índices para crescimento. Durante essa etapa, crie uma lista com todas essas características, como: novos produtos ou serviços, assim como novos clientes que pretende alcançar.

Após finalizar essa etapa, os empreendedores devem criar uma lista com seus micro-objetivos. Afinal, são esses pequenos passos que permitem você chegar até seu objetivo final. 

2. Escolha uma plataforma para seu e-commerce

Quando você pensa em criar um e-commerce do zero, vai se deparar com uma variedade de plataformas para ele no mercado. Porém, antes de fazer sua escolha, é importante levar em consideração alguns pontos. 

Em linhas gerais, os empreendedores devem descobrir quais são as funções da plataforma, assim como os planos oferecidos. Afinal, existem vários formatos de integração, como formas de pagamento e envio dos serviços. 

3. Defina quais são as formas de pagamento

Quando estiver planejando seu e-commerce do zero, um ponto de extrema relevância são suas formas de pagamento. Ou seja, a forma como o seu cliente poderá pagar pelo seu produto ou serviço. 

Existem alguns critérios importantes que devem ser definidos antes de sua escolha. Especialistas recomendam que a sua loja virtual tenha o maior número de formas de pagamento possível.

Os empreendedores podem integrar em seu site um gateway de pagamento, por exemplo, o PagSeguro. Essa ferramenta funciona da seguinte maneira: ela recebe os dados de pagamento do cliente, contata as empresas do cartão, processa o pagamento, confirma para o cliente e transfere para a sua conta bancária. 

Além disso, com o PagSeguro, os clientes têm várias opções de pagamento disponíveis. É possível realizar suas transações via cartão de crédito, boleto, PIX, transferência bancária, entre outros. 

4. Crie canais de atendimento 

Os canais de atendimento são extremamente importantes para criar um e-commerce do zero. Porém, antes de criar qualquer plataforma, pense sobre a persona que está buscando por seus serviços. 

Ou seja, você deve pensar onde o seu cliente está, e o que ele utiliza para entrar em contato com a sua empresa. Enfim, existem vários canais que podem ser usados com esse objetivo, como: WhatsApp, Instagram, endereço de e-mail, entre outros. 

É importante definir uma estratégia para se comunicar com o cliente e fazer com que ele volte a fechar negócio com a sua empresa. Acima de qualquer coisa, o seu atendimento deve encantar os clientes. 

Enfim, independentemente do seu público-alvo, é importante que seus canais de atendimento sejam diversificados. Afinal, você deve atender as necessidades dos clientes, e isso só será possível estando onde ele está.

5. Defina seus meios de envio 

Quando estiver planejando o seu e-commerce, as formas de envio devem ser definidas. Em linhas gerais, existem duas maneiras de enviar seus produtos aos clientes, são elas: transportadoras ou Correios. 

Em ambas modalidades, existem vantagens e desvantagens. Embora os Correios tenham o método de envio barato, as transportadoras costumam enviar os produtos em um período menor. Para escolher a melhor opção, leve em consideração suas necessidades.