Segurança do trabalho

Empresa de Segurança do Trabalho: como funciona?

Assim como a medicina do trabalho, conhecida popularmente como saúde ocupacional, uma Empresa de Segurança do Trabalho possui um papel muito importante diante do mundo corporativo.

Independente de o segmento empresarial ser uma indústria ou um negócio da construção civil, a legislação brasileira exige que as empresas pensem na área.

Entre as obrigatoriedades que todo empreendimento precisa seguir, a elaboração de planos de prevenção de acidentes de trabalho e o fornecimento de acessórios de proteção individual como a Bota de segurança EPI se destacam.

Neste contexto, as empresas de segurança de trabalho são essenciais para o cumprimento das normas, a elaboração de treinamentos para outros profissionais e a análise de riscos no ambiente trabalhista.

Em um cenário ideal, toda empresa deveria contar com um setor especializado nesta área. Contudo, é comum encontrar consultorias e empresas que focam na área, mas que prestam serviço para outras.

Quer saber mais sobre como funciona e para que serve esse tipo de empresa? Leia mais e entenda alguns pontos.

Empresa de Segurança de Trabalho: é importante?

No ranking mundial de acidentes de trabalho, o Brasil é o país com o quarto maior número de acidentes registrados. A informação tem origem em dados da Previdência Social e Ministério do Trabalho, registrados na Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Neste contexto, uma Empresa de Segurança de Trabalho oferece um papel muito relevante. Afinal, é esse setor que se preocupa com a análise de riscos e insalubridade, a promoção de ações e estratégias para melhorar o ambiente de trabalho e planos de prevenção.

Embora a legislação trabalhista possa sofrer mudanças, atualmente há programas de segurança de trabalho que são obrigatórios por lei e que uma empresa da área consegue elaborar. Quer saber mais sobre eles? Continue lendo o tópico e descubra alguns.

Uma das estratégias neste cenário é o Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional (PCMSO). Na prática, esse programa serve para mapear zonas de riscos e possíveis doenças que possam surgir no ambiente de trabalho.

O programa segue as orientações da Norma Reguladora 7 (NR7) da Associação Brasileira de Normas Técnica e as principais ações realizadas por meio dele são:

  • Exame admissional;

  • Exames periódicos;

  • Análise de saúde para mudanças de setor/função

  • Exame demissional.

Outro programa muito interessante nesta área é o da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Na prática, essa comissão é formada por colaboradores que atuam na prevenção estratégica de acidentes de trabalho, além da identificação de riscos.

Geralmente, as reuniões são mensais e é indicado que não só os colaboradores participem, como também é preciso ter um olhar dos gestores.

Os esforços conjuntos resultam na mensuração de mais demandas de segurança do trabalho e, assim, fortalecem a criação de estratégias de prevenção e a transformação desse ambiente.

Por isso, contar com o apoio desse tipo empresa não só é importante como também essencial. Afinal: como ter credibilidade perante o mercado sem se preocupar com a segurança dos colaboradores, do espaço de trabalho e das questões sociais, ambientais e de saúde que vão envolver a empresa?

Tudo isso é importante para consideração e fortalecimento de ações práticas para a mudança.

EPIs: o que são equipamentos de proteção?

Ao usar uma Bota de segurança EPI, o colaborador está se protegendo de riscos no ambiente de trabalho. Não é à toa que esse é um equipamento de proteção individual.

Os chamados EPI’s são dispositivos que podem ser encontrados em formatos como uniformes, óculos de proteção, botas ou até mesmo outros acessórios como o que é chamado de cinto de segurança.

Na prática, esses equipamentos devem ser fornecidos obrigatoriamente aos colaboradores em qualquer ambiente que proporcione algum tipo de risco à saúde.

O uso de óculos, por exemplo, é indispensável em um ambiente de soldagem. Afinal, como proteger a retina diante de um processo que envolve muito esforço ocular e de equipamentos? É algo a ser analisado.

Além dos EPI’s, há outras estruturas como o Ponto de ancoragem para linha de vida que são usadas para proteção diante de trabalhos em altura.

Na prática, essa linha pode ser uma corda, cabo ou fio que, por meio de um sistema de trava queda é instalado em pontos específicos.

ATENÇÃO: é importante conferir a Norma Brasileira Reguladora 35 (NBR35), da ABNT que trata especificamente da proteção contra quedas para entender melhor o contexto.

Em resumo, uma Empresa de Segurança do Trabalho é essencial para garantir segurança e credibilidade para qualquer empreendimento.

Leave a Comment